Principais aspectos para escolher o escoramento da obra

Contribuição técnica dos engenheiros Eduardo Vizzotto, Projetista da SH Porto Alegre e Marco Aurélio, Gerente Comercial da unidade de São Paulo.

Para muitos profissionais que estão iniciando suas carreiras à frente de alguma obra, ou até mesmo profissionais mais experientes, sobram dúvidas como qual material usar na execução do projeto e como fazê-lo da melhor maneira. É comum que alguns itens de fundação e até de acabamento já estejam indicados no memorial descritivo da obra ou até mesmo especificados nos projetos. Mas e quando o assunto é o escoramento? Qual devemos utilizar?

Muitos fatores podem influenciar no momento desta decisão, porém, acreditamos que existem alguns aspectos essenciais que podem fazer uma grande diferença na hora de definir qual solução poderá atender melhor às necessidades da execução.

34_20160701101213

Tipologia da estrutura de concreto x Pé direito

Em obras com lajes planas ou até mesmo em lajes nervuradas, com utilização de blocos de EPS ou cubetas, é recomendado o uso de um sistema que otimize tempo, promova redução de custo e garanta qualidade do concretado. Um sistema amplamente utilizado é o Topec SH ®. Esse sistema reduz a utilização de mão de obra e a utilização de madeira com a eliminação de aproximadamente 80% da aquisição de fôrmas para as lajes.

O sistema Topec SH ® conta com fôrmas de até 2m², com peso de 22,91kg e suporta lajes de 30cm de concreto maciço variando sua modulação de montagem. Além disso, promove melhoria do ciclo de montagem do escoramento (fôrma), já que elimina-se uma etapa trabalhosa e artesanal. Com o Topec SH ® é possível um rápido reaproveitamento do sistema devido ao Drophead, uma peça onde as próprias escoras do sistema do escoramento são utilizadas no reescoramento, sem a necessidade de realizar mais esta etapa.

Caso a estrutura da obra seja convencional, com misto de lajes e vigas, que ainda é a maior totalidade das obras hoje atendidas, o melhor sistema é o escoramento convencional dotado de escoras, perfis principais e perfis secundários.

Para ambas as situações um ponto que pode ser decisivo na escolha dos equipamentos é o pé direito da obra, para obras com alturas mais elevadas e com vigas e lajes mais espeças é recomendado a utilização de torres modulares intercaladas com escoras ou até mesmo somente torres modulares, que ajudam a ter uma maior estabilidade na estrutura ou até mesmo ajudar em outras situações como a utilização de torres modulares adotando um sistema de guarda corpo tubulares e vencer maiores alturas.

Outras vantagens que podemos citar são:

– Torres modulares, que podem suportar até 6 toneladas por poste, intercaladas com escoras, podendo se adaptar as diferentes tipologias de estruturas;

– Escoramento de lajes e vigas utilizando o mesmo sistema;

– Dependendo do tamanho da viga, existem peças especiais (base dupla) que facilitam e minimizam a densidade de escoramento das lajes;

– Perfis metálicos e de madeira, atendendo as especificidades das diferentes equipes e construtoras.

Prazo x Custo

Um dos principais fatores que podem “assustar” os profissionais no ramo da construção civil é o conhecido prazo de entrega, que está ligado diretamente a diversos outros fatores como clima, entregas de insumos e mão de obra qualificada, por exemplo. Em obras com um cronograma justo, independente do tipo de estrutura, torna-se necessário o uso de equipamentos para que ocorra ganho de agilidade no escoramento e, consequentemente, atenda o cronograma previsto.

Há ainda muitas obras que utilizam escoramento de madeira, e em grande parte são aquelas que têm prazo indefinido para término da estrutura (obras por administração). Vale lembrar que este comparativo deve ser verificado não apenas no custo final “metálico x madeira” e sim em todos os pontos que giram em torno desta escolha, podemos destacar os seguintes parâmetros ainda:

tabela
fonte: http://projr.com.br/blog/qual-escoramento-tem-melhor-custo-beneficio/

Descarte:

Devolver a empresa locadora ou realizar manutenção dos equipamentos para próxima utilização/ aluguel de container e pagar o descarte de madeira em determinadas regiões.

Montagem:
Regulagem para atender diversas alturas e encaixe entre escoras de madeiras para atender outros níveis de altura (se atentar a norma que regulamenta estes detalhes).

Mão de obra:
Topec ®: mão de obra sem muita especialização (há diversos treinamentos oferecidos pela empresa) x madeira: mão de obra especializada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *